Para fazer um passeio seguro e confortável, é imprescindível que a manutenção do amortecedor de moto esteja em dia! Isso porque ele é o componente responsável pela redução de impactos recebidos ao rodar em estradas de chão, vias desniveladas, passar acidentalmente por buracos ou até num simples quebra-molas no dia a dia.

Sem essa peça fundamental, os choques gerados por essas situações trariam prejuízos muito grandes e mais rápido, fazendo com que a manutenção da sua moto tivesse um custo muito mais elevado, tornando-se até impraticável em alguns casos.

Foi pensando nisso que separamos algumas dicas para você entender melhor como funciona o amortecedor, sua importância, quais os tipos e como saber quando é preciso trocar. Se interessou? Então, continue lendo o nosso artigo!

Como funciona?

Ao controlar o movimento da suspensão, o amortecedor diminui a distância da frenagem, reduz o desgaste dos pneus e dos itens da suspensão. Tudo isso resulta em uma dirigibilidade aprimorada e com segurança para quem está pilotando a moto. Mas como isso acontece?

O amortecedor funciona de duas formas: no movimento de extensão, quando é alongado, e no movimento de compressão, quando é pressionado. No movimento de extensão, o óleo da câmara de tração é pressionado, passando para a câmara de compressão. Já no movimento de compressão, o movimento é o inverso e o óleo da câmara de compressão é empurrado para a câmara de tração.

Quais são os modelos de amortecedor de moto?

Os modelos se dividem em hidráulicos e pressurizados. Equipado com óleo e ar, o hidráulico é o mais convencional, feito para todos os tipos de veículos. Já os pressurizados são mais robustos, para pilotos mais experientes, pois proporcionam uma melhor performance e estabilidade.

Muito da vantagem proporcionada pelo amortecedor pressurizado se deve ao uso do gás nitrogênio no momento de sua fabricação, pois faz com que o sistema tenha um desempenho mais rápido, com reações quase instantâneas.

Como saber se preciso trocar?

Os fabricantes sugerem a substituição da peça na faixa dos 50 mil quilômetros rodados, mas a verdade é que a manutenção dos amortecedores vai depender muito de diversos fatores na sua dirigibilidade, como o peso ao qual você submete sua moto e por onde você anda. Também existem casos em que passamos despreparados por um buraco do qual não foi possível desviar a tempo e é preciso trocar na hora. Fique atento a esses momentos!

Você pode perceber sinais de que o amortecedor está se deteriorado na própria dirigibilidade, uma vez que a estabilidade vai se perdendo com esse desgaste. De qualquer maneira, o mais indicado é sempre verificar a situação nas revisões da sua moto a cada 10 mil quilômetros.

Também é importante procurar sempre as melhores marcas e modelos para amortecedor de moto, visando garantir o bom funcionamento do seu veículo como um todo, evitando acidentes desnecessários e com o máximo de conforto.

Entendeu melhor como funciona essa peça essencial? Então, visite o nosso site para conhecer os nossos produtos e ficar por dentro de mais conteúdos como este!