A revisão de moto deve ser feita normalmente a cada 6 mil quilômetros, trocando óleo e filtro do motor. Essa é a média indicada pelos fabricantes para um uso comum, no asfalto, no dia a dia, sem muitas emoções. Ao pilotar em trilhas, no entanto, sabemos que devemos ter um cuidado maior. Isso porque a moto fica exposta a um desgaste mais intenso, e de forma mais rápida, concorda?

Portanto, a manutenção deve ser feita com maior frequência. Inclusive, além da checagem pré-trilha, é recomendado também fazer uma pequena analise após cada passeio, para observar se nenhuma peça foi danificada. E isso pode ser feito por você!

Por serem muito mais exigidos, suspensões, freios e motor devem estar sempre em boas condições. Tudo isso vai garantir a segurança ao praticar esse esporte. Quer saber como e quando fazer a revisão da sua moto de trilhas? Então leia as dicas abaixo que preparamos para você!

Quando fazer a revisão de moto

Uma moto comum precisa ser levada ao mecânico a cada seis meses ou seis mil quilômetros rodados. Como já vimos, no entanto, uma moto de trilha trabalha sob exigências mecânicas mais desgastantes. Por isso, não espere todo esse tempo para fazer checagens e trocas de peças com quem entende do assunto.

A grande diferença de uma moto comum para uma moto de trilha, no entanto, é que motocicletas usadas para o dia a dia geralmente são levadas ao mecânico dentro dos prazos já ditos acima ou antes de viagens extensas. Já as de tilha costumam passar por revisão após cada passeio. Isso faz com que eventuais problemas sejam detectados e consertados antes da próxima trilha.

Leve o seu veículo em mecânico de confiança após algumas trilhas, mesmo que você não tenha identificado algum problema muito visível nas últimas vezes. O mecânico vai verificar outros itens como o nível do fluído de freio no reservatório e do óleo do motor, filtro e caixa de ar, vela de ignição, janela de escape, carburador, filtro da torneira de combustível, coletor de admissão, cabo de aço da embreagem, fixação do amortecedor e até mesmo o chassi.

A importância da lavagem 

A segunda dica é lavar bem a sua moto ao final da trilha. Sempre! É fundamental para a conservação e bom funcionamento das peças que ela seja guardada sem nenhum vestígio de lama ou detrito.

Os resíduos podem ser bastante prejudiciais após secarem, então é importante garantir que eles não vão ficar grudados na sua moto por muito tempo. Mas tenha cuidado ao limpar partes que podem ser danificadas por produtos químicos ou até mesmo os jatos de água mais fortes.

Em casa, também é interessante deixar a moto em local coberto, ou com alguma capa protetora. Além disso, com limpeza também é possível analisar melhor se algo foi danificado, tanto na lataria, quanto na parte mecânica. Explicaremos melhor na dica a seguir!

O que analisar após cada trilha 

Analise algumas partes da sua moto logo após a trilha. Procure por vazamentos, alguma parte trincada, amassada ou quebrada, alguma peça solta ou até um pouco frouxa. Se algum parafuso estiver solto, aperte-o. Também verifique o alinhamento das rodas e o estado das pastilhas de freio.

Se perceber alguma falha nos itens acima, algum barulho suspeito, ou que a performance da moto está estranha, leve direto no mecânico. Assim, ele pode fazer uma revisão mais aprofundada para descobrir o que pode ter sido danificado no seu último passeio. Algumas peças, além de serem limpas, também precisam ser lubrificadas, como a corrente e os cabos de embreagem e acelerador.

Talvez não seja preciso dar essa dica, mas usar sua moto regularmente também ajuda na conservação, pois mantém seus itens funcionando. Já é uma boa desculpa para estar sempre nas trilhas, não é mesmo?

Portanto, faça seus passeios com segurança e não esqueça de fazer sempre a revisão de moto para garantir uma extensa vida útil do seu veículo. Quer saber mais dicas do mundo das trilhas? Curta nossa página no Facebook e não perca mais nenhum conteúdo como esse!